Mercado de trabalho e dependência química

O mercado de trabalho se constitui como um desafio para os dependentes químicos, pois ele tem se tornado cada vez mais competitivo, o que acaba sendo um desafio para ele. 

A dependência química se constitui como uma doença multifatorial, onde existem diversos fatores associados a ela que podem acabar prejudicando a vida do indivíduo como um todo, e entre elas está o campo profissional. 

Com a dependência o consumo abusivo de drogas se torna um hábito e desta forma o adicto perde o controle da sua situação, quando isto acontece é necessário que uma intervenção especializada seja feita.

Esta medida visa a recuperação do dependente contribuindo para que ele durante o processo, se conscientize e a partir disso, comece a repensar e planejar novas metas e objetivos de vida, adotando novas atitudes e rituais saudáveis.

Ao sair de seu processo de recuperação e ser reinserido na sociedade, ele acaba se deparando com esse novo contexto e diante disso, precisa se reinventar, se adaptando às novas possibilidades do mercado de trabalho. 

Durante esse processo de restabelecimento e construção de uma nova vida, um emprego pode se constituir como um novo recomeço e uma peça chave para o seu desenvolvimento pessoal e motivação para se manter limpo.

Leia também: Empresas que contratam Jovem Aprendiz

Problemas que dependentes químicos podem causar no ambiente de trabalho 

A dependência química é uma doença séria que assim como qualquer outra, necessita de cuidado e tratamento, ela acaba afetando de modo negativo tanto a parte física quanto a psicológica do indivíduo. Desse modo, é inevitável que a área profissional também seja prejudicada, os impactos são diversos podendo afetar até mesmo a relação do indivíduo com seus colegas e superiores, seja por conta do uso ou da abstinência causada por substâncias químicas. 

Existem alguns sinais de alerta que podem indicar que um funcionário está enfrentando problemas com o consumo abusivo de substâncias. Geralmente, essas pessoas passam a ter hábitos incomuns como faltar constantemente ao trabalho ou se atrasar, prejuízos econômicos como as despesas e faltas injustificadas, baixo rendimento, danos de equipamentos, perda de materiais e acidentes de trabalho. 

Outras consequências também são percebidas, como a queda da produtividade, mudanças de hábitos e alterações no comportamento assim como também dificuldades no relacionamento interpessoal.  É preciso estar atento a esses sinais, que podem indicar que existe algo de errado com algum funcionário, pois muitos podem passar despercebidos.

É perceptível que essa situação requer atenção não apenas por parte do empregador, mas também da família do indivíduo pois ela se constitui como um importante suporte para o seu devido auxílio e ajuda no enfrentamento da dependência química.

Como mensurar o impacto do abuso de substâncias químicas pelos funcionários

É um problema alarmante e muito atual pois nota-se um crescimento nesse aspecto, e se constitui como algo prejudicial não somente para o dependente, mas também para a empresa, pois esse desafio é algo a ser superado por ambas as partes. 

Quando se fala nos impactos do uso abusivo de substâncias não há como saber quais os tipos de drogas ou as consequências que essa situação irá causar no ambiente laboral. 

Pesquisas feitas pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) relatam que o Brasil está entre os cinco países do mundo onde acidentes de trabalho acontecem. Entre os anos de 2006 a 2017, cerca de 447.900 funcionários foram afastados de seu trabalho por conta do consumo abusivo de álcool ou drogas. 

Esses dados acendem um alerta a respeito da falta de investimentos quando se pensa sobre a prevenção do consumo de substâncias psicoativas. Diante disso, o abuso de substâncias pelos funcionários é um problema que merece destaque e que precisa ser superado, além de buscar meios e iniciativas que façam eles optarem por outras opções mais saudáveis. 

Fatores que contribuem para a dependência química no mercado de trabalho 

Quando se pensa a respeito desse assunto, começamos a imaginar que são muitos os fatores que exercem influência sobre esse aspecto, que muitas vezes podem até passar despercebidos, pois são bem sutis. Um chefe mal-humorado, desentendimentos com colegas de trabalho, a rotina estressante que o funcionário acaba absorvendo durante o dia, a forte competitividade, problemas em casa com a família ou até mesmo pessoas doentes em casa.

Todos esses fatores podem contribuir para que os funcionários optem pelo consumo de álcool ou drogas buscando o alívio emocional ou a tentativa de fuga da realidade. Tendo em vista que essas substâncias alteram tanto o humor como a personalidade do indivíduo, as mudanças em suas ações e atitudes são algo notável. Portanto, é preciso estar atento a certas situações que podem fazer o rendimento laboral dos funcionários caírem. 

Como auxiliar funcionários dependentes e prevenir problemas

Ainda existem muitas empresas que possuem dificuldades e que se encontram despreparadas para enfrentar o problema da dependência química. É de fundamental importância que as empresas optem por uma iniciativa não de exclusão ou afastamento dos funcionários envolvidos com a dependência, mas que tentem encontrar uma forma eficaz para driblar essa situação. 

Existem algumas medidas preventivas que as empresas podem adotar para auxiliar seus funcionários com problemas gerados pelo uso abusivo de álcool ou outras drogas, como por exemplo, atividades educativas que conscientizem sobre as substâncias psicoativas e seus efeitos e seus impactos sobre a vida em geral. 

Parcerias com programas como o A.A (Alcoólicos Anônimos) e N.A (Narcóticos Anônimos), clínicas de recuperação e também prover de um ambiente livre de estresse também são algumas opções de grande relevância. 

Com essas ações preventivas as empresas podem contribuir para um ambiente organizacional mais saudável, cooperando para que seus funcionários além de estarem informados, aumentem a sua produtividade e harmonia entre seus colegas. 

Portanto, esses investimentos possibilitariam grandes vantagens tanto para as empresas quanto para os funcionários. Outra importante medida para o devido auxílio de funcionários dependentes é manter a confidencialidade da situação, para que assim possa ser evitada sua exposição. 

Se algo suspeito for identificado no ambiente organizacional, o empregador deve auxiliar o seu funcionário a ir para um médico do trabalho ou a um assistente social que o ajude a se prevenir de maiores problemas.

Portanto, apoio, diálogo e se preciso for o encaminhamento do dependente químico para que ele passe por um tratamento são possíveis soluções que se constituem como medidas preventivas dentro do ambiente organizacional. 

Desta forma, o funcionário poderá se sentir mais confortável para conseguir se prevenir ou parar com o uso abusivo de álcool ou outras drogas, sem que possa provocar ainda mais prejuízos à sua vida. Em casos de dúvidas ou sugestões para melhorar esse artigo, deixe um comentário no final da página.

Confira mais conteúdos informativos no Blog da Hope Contábil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima