Vantagens e desvantagens da previdência privada fechada

A previdência privada, desde a aprovação da Reforma da Previdência, tem sido vista pelos trabalhadores como uma excelente opção não apenas para garantir um futuro mais estável, mas para poupar (de forma vantajosa!) para adquirir patrimônio, pagar pelo estudo dos dependentes, etc.

O surgimento do interesse do brasileiro por novas formas de manter-se financeiramente equilibrado tem sido observado por diversos setores da sociedade: as empresas, por exemplo, têm oferecido planos de previdência privada como benefícios corporativos – o que, com certeza, têm fidelizado muitos funcionários.

Apesar dessa nova popularidade, ainda existe muita dúvida sobre o funcionamento da previdência privada. Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre a previdência privada fechada, explicando a sua diferença em relação à previdência aberta, além de listar vantagens e possíveis desvantagens. Confira.

Previdência aberta

As previdências abertas são sociedades que têm atividades com fins lucrativos: na prática, isso significa que os planos de previdência privada são oferecidos por seguradoras, instituições financeiras e bancos, e podem ser contratados por pessoas jurídicas ou físicas.

Para que possam vender planos de previdência privada, as companhias devem ser autorizadas pela Superintendência de Seguros Privados – SUSEP e normatizadas pelo Conselho Nacional de Seguros Privados – CNSP.

A previdência privada aberta, no Brasil, atua com dois modelos: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

Segundo o SUSEP, o VGBL pode ser classificado como seguro de pessoa, enquanto o PGBL é um plano de previdência complementar.

A maior diferença entre eles está no tratamento tributário: no VGBL, o imposto de renda incide sobre os rendimentos; no PGBL, por sua vez, o IR incide sobre o valor total (aportes + rendimentos) a ser recebido em forma de renda mensal ou resgatado de uma vez.

Pessoas que optam pelo PGBL geralmente preenchem o modelo completo da declaração de Imposto de Renda, visto que também têm poder aquisitivo maior.

Para elas, o plano é bastante vantajoso também porque permite ao contribuinte que deduza as contribuições em até 12% de sua renda bruta anual. Aportes feitos ao PGBL não podem ser deduzidos na declaração anual de IR.

Previdência fechada

Os planos de previdência fechada também são chamados de fundos de pensão. Ao contrário dos planos de previdência abertos, eles não possuem fins lucrativos – o que faz com que, por consequência, sejam mais baratos.

Os planos fechados não são acessíveis para todos: apenas funcionários de uma determinada empresa ou de uma categoria específica podem se beneficiar deles. Os benefícios corporativos, sobre os quais falamos no início deste artigo, geralmente são oferecidos neste formato.

Quais são as vantagens?

Para as empresas, os fundos de pensão são interessantes porque oferecem ao funcionário mais estabilidade, é claro, mas não só: trata-se de um benefício que faz com que a companhia seja vista pela sociedade e pelo seu corpo de colaboradores de forma mais amigável, mais confiável.

Ao oferecer vantagens deste porte, a empresa começa a atrair funcionários cada vez mais especializados, além de ter mais facilidade para reter os talentos que já estão em seu time – o que, por consequência, diminui o turnover e mantém o financeiro sempre em bom estado.

Para os colaboradores, uma das vantagens está na possibilidade de se aposentar com mais tranquilidade e dentro de um período de tempo confortável: quando a empresa aposta em fundos de pensão, o funcionário se sente mais confiante para se aposentar, já que sabe que terá uma fonte de renda a mais.

Além disso, podemos citar como vantagens dos fundos de pensão os seguintes aspectos:

  • diminuição de uma porcentagem da renda tributável no imposto de renda;
  • diminuição da taxa de empréstimos;
  • boa rentabilidade;
  • possibilidade de sacar o valor investido ao deixar a empresa, seja por demissão voluntária ou involuntária;
  • maior controle financeiro, já que a parcela do plano é sacada da folha de pagamento mensalmente.

Desvantagens

A maior desvantagem da previdência privada fechada está no fato de que se trata de um investimento de baixa liquidez. Não é possível retirar o dinheiro ou receber o dinheiro assim que se deseja.

Como mencionamos anteriormente, o trabalhador pode receber os aportes feitos em caso de demissão, mas também quando se aposenta. É preciso ter paciência, portanto.

Vale dizer que os fundos de pensão também podem “quebrar”, o que faria com que os trabalhadores não recebessem os valores que investiram ao final de um longo período de aposta. É raro que isso aconteça, mas trata-se de um risco, então é preciso sinalizá-lo.

Confira mais conteúdos informativos no Blog da Hope Contábil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima