Pular para o conteúdo

Tabela Price ou SAC? Melhor sistema de financiamento em 2023

  • por

Ao decidir comprar um imóvel através de financiamento, uma das decisões mais cruciais a serem tomadas é a escolha do sistema de amortização, entre a Tabela Price ou SAC.

Essa escolha determina como as parcelas do empréstimo serão pagas ao longo do tempo e pode ter um impacto significativo no custo total do financiamento.

No Brasil, os dois sistemas de amortização mais comuns são a Tabela Price e o Sistema de Amortização Constante (SAC).

A Tabela Price e o SAC possuem características distintas que podem torná-los mais adequados para diferentes situações financeiras e objetivos de longo prazo, com influência no valor das parcelas, tempo de pagamento e o valor total pago ao final.

Hoje o time de redação do Blog Hope Contábil vai explorar em detalhes o funcionamento da Tabela Price e do SAC, suas principais vantagens e desvantagens.

Aprenda como escolher o sistema de amortização que melhor se adapta às suas necessidades, através de exemplos práticos e uma comparação direta. Acompanhe!

Leia também:

Tabela Price ou SAC? Melhor sistema de financiamento em 2023
Tabela Price ou SAC? Melhor sistema de financiamento em 2023

Entendendo a Tabela Price

A Tabela Price, também conhecida como Sistema Francês de Amortização, é um dos sistemas de amortização mais utilizados no Brasil, especialmente em financiamentos de longo prazo, como os imobiliários.

A principal característica da Tabela Price é que as parcelas são iguais do início ao fim do financiamento. Isso significa que o valor que você paga mensalmente é constante, o que pode facilitar o planejamento financeiro.

No entanto, é importante entender que a composição dessas parcelas muda ao longo do tempo. Cada parcela é composta por uma parte de juros e uma parte de amortização do principal, ou seja, do valor emprestado.

No início do financiamento, a parcela de juros é maior e a de amortização é menor. À medida que o tempo passa, a parcela de juros diminui e a de amortização aumenta. Isso ocorre porque os juros são calculados sobre o saldo devedor, que diminui a cada pagamento.

Uma vantagem da Tabela Price é que, por ter parcelas constantes, ela pode ser mais fácil de encaixar no orçamento, especialmente para quem tem uma renda estável e previsível. Além disso, como as primeiras parcelas têm um valor de amortização menor, o impacto inicial no orçamento pode ser menor.

No entanto, a Tabela Price também tem suas desvantagens. A principal é que, como os juros são calculados sobre o saldo devedor, o valor total pago ao final do financiamento pode ser maior em comparação com outros sistemas de amortização, como o SAC.

Isso acontece porque a amortização do principal é mais lenta no início, o que significa que os juros incidem sobre um saldo devedor maior por mais tempo.

Para ilustrar como a Tabela Price funciona na prática, vamos considerar um exemplo. Suponha que você financie um imóvel de R$ 300.000 em 30 anos com uma taxa de juros de 8% ao ano.

Pela Tabela Price, a parcela mensal seria de aproximadamente R$ 2.200 durante todo o período de financiamento. No início, a maior parte dessa parcela seria de juros, mas à medida que o tempo passa, a parcela de amortização aumentaria e a de juros diminuiria.

A Tabela Price pode ser uma boa opção para quem prefere a previsibilidade de parcelas constantes e tem a capacidade de gerenciar um financiamento que pode ter um custo total maior.

No entanto, é essencial entender como ela funciona e considerar suas características em relação às suas necessidades e objetivos financeiros.

Entendendo o SAC

O Sistema de Amortização Constante, mais conhecido como SAC, é outro método comum de amortização utilizado em financiamentos imobiliários no Brasil. Diferentemente da Tabela Price, o SAC se caracteriza por ter parcelas decrescentes ao longo do tempo.

No SAC, a amortização do principal é constante. Isso significa que o valor do empréstimo é dividido igualmente pelo número de parcelas. No entanto, os juros são calculados sobre o saldo devedor, que diminui a cada pagamento. Como resultado, o valor total da parcela (amortização + juros) diminui ao longo do tempo.

Uma das principais vantagens do SAC é que o custo total do financiamento tende a ser menor em comparação com a Tabela Price. Isso ocorre porque a amortização do principal é mais rápida no início, o que significa que os juros incidem sobre um saldo devedor menor por mais tempo.

No entanto, o SAC também tem suas desvantagens. A principal é que as primeiras parcelas são mais altas em comparação com a Tabela Price. Isso pode ser um desafio para quem tem um orçamento mais apertado no início do financiamento.

Além disso, embora as parcelas diminuam ao longo do tempo, essa diminuição pode não acompanhar a inflação ou o aumento da renda, o que pode tornar as parcelas mais pesadas no futuro.

Para ilustrar como o SAC funciona na prática, vamos considerar o mesmo exemplo do tópico anterior. Se você financiar um imóvel de R$ 300.000 em 30 anos com uma taxa de juros de 8% ao ano, a primeira parcela pelo SAC seria de aproximadamente R$ 3.000.

No entanto, essa parcela diminuiria ao longo do tempo, chegando a cerca de R$ 800 na última parcela.

O SAC pode ser uma boa opção para quem pode arcar com parcelas mais altas no início e quer minimizar o custo total do financiamento.

No entanto, é essencial entender como ele funciona e considerar suas características em relação às suas necessidades e objetivos financeiros.

Comparação entre Tabela Price e SAC

Ao escolher entre a Tabela Price e o SAC para um financiamento imobiliário, é essencial entender as diferenças fundamentais entre os dois sistemas e como elas podem afetar o seu orçamento e o custo total do financiamento.

Parcelas

Na Tabela Price, as parcelas são constantes do início ao fim do financiamento. Isso pode facilitar o planejamento financeiro, pois você sabe exatamente quanto terá que pagar todos os meses.

É importante lembrar que a composição da parcela muda ao longo do tempo, com a parcela de juros diminuindo e a de amortização aumentando.

No SAC, as parcelas começam mais altas e diminuem ao longo do tempo. Isso pode ser vantajoso se você tiver a capacidade de pagar parcelas mais altas no início e quiser se beneficiar de parcelas menores no futuro.

No entanto, as primeiras parcelas podem ser um desafio para quem tem um orçamento mais apertado.

Custo Total

Em geral, o custo total do financiamento tende a ser maior na Tabela Price em comparação com o SAC. Isso ocorre porque a amortização do principal é mais lenta no início na Tabela Price, o que significa que os juros incidem sobre um saldo devedor maior por mais tempo.

No SAC, a amortização do principal é mais rápida no início, o que reduz o saldo devedor mais rapidamente e, consequentemente, o valor dos juros. Como resultado, o custo total do financiamento tende a ser menor.

Impacto no seu orçamento

A escolha entre a Tabela Price e o SAC também pode depender do impacto das parcelas no seu orçamento. Na Tabela Price, as parcelas constantes podem ser mais fáceis de gerenciar, especialmente se você tiver uma renda estável e previsível.

No SAC, as parcelas decrescentes podem ser benéficas se você esperar um aumento de renda no futuro ou se quiser liberar mais dinheiro para outros gastos à medida que o tempo passa. Mas as parcelas iniciais mais altas podem ser um desafio.

Escolhendo o melhor

Tanto a Tabela Price quanto o SAC têm suas vantagens e desvantagens, e a escolha entre eles depende de suas circunstâncias financeiras e objetivos de longo prazo.

É importante considerar fatores como a estabilidade de sua renda, sua capacidade de pagar parcelas mais altas no início e sua preferência entre parcelas constantes ou decrescentes.

Lembre-se de que a escolha do sistema de amortização é apenas uma das muitas decisões que você terá que tomar ao financiar um imóvel.

É sempre uma boa ideia buscar aconselhamento financeiro para garantir que você esteja tomando a decisão mais informada possível.

Melhor sistema de financiamento entre Tabela Price e SAC

A escolha entre a Tabela Price e o SAC é uma decisão importante que pode ter um impacto significativo no custo do seu financiamento imobiliário e na sua situação financeira.

Cada sistema tem suas vantagens e desvantagens, e a melhor escolha depende das suas circunstâncias individuais e objetivos de longo prazo.

A Tabela Price, com suas parcelas constantes, pode ser uma boa opção se você valoriza a previsibilidade e tem uma renda estável. O custo total do financiamento pode ser maior em comparação com o SAC.

Por outro lado, o SAC, com suas parcelas decrescentes, pode ser vantajoso se você pode arcar com parcelas mais altas no início e quer minimizar o custo total do financiamento. As parcelas iniciais mais altas podem ser um desafio para alguns.

Em última análise, a decisão entre a Tabela Price ou SAC deve ser tomada por uma compreensão clara de como cada sistema funciona e uma avaliação cuidadosa da sua situação financeira.

E lembre-se de que é sempre uma boa ideia buscar aconselhamento financeiro ao tomar decisões importantes como essa.

Confira um vídeo com uma boa comparação para te ajudar entre a Tabela Price ou SAC:

Perguntas mais frequentes

Qual sistema de amortização é mais caro, Tabela Price ou SAC?

Em termos de custo total do financiamento, a Tabela Price geralmente resulta em um custo maior em comparação com o SAC. Isso ocorre porque na Tabela Price a amortização do principal é mais lenta no início, o que significa que os juros incidem sobre um saldo devedor maior por mais tempo.

Qual sistema de amortização tem parcelas mais baixas, Tabela Price ou SAC?

Depende do ponto de vista. Na Tabela Price, as parcelas são constantes durante todo o financiamento. No SAC, as parcelas começam mais altas, mas diminuem ao longo do tempo. Portanto, no início, as parcelas são geralmente mais baixas na Tabela Price, mas no final, são mais baixas no SAC.

Posso mudar o sistema de amortização depois de iniciar o financiamento?

Normalmente, a escolha do sistema de amortização é feita no início do financiamento e não pode ser alterada posteriormente. No entanto, as políticas podem variar dependendo da instituição financeira, por isso é sempre uma boa ideia verificar com o seu banco ou credor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *