Pular para o conteúdo

Será que ainda vale a pena participar de um consórcio?

  • por

Confira se vale a pena participar de um consórcio de acordo com o seu perfil e as suas expectativas!

Ao entrar para um consórcio, você se reúne com outras pessoas que têm o mesmo objetivo de adquirir um bem ou serviço. Dessa forma, os participantes do consórcio juntam o capital em prol de conseguir esse propósito, seja um carro, moto ou ainda uma casa.

A compra será realizada por meio de uma carta de crédito com objetivo específico, que pode ser a aquisição de um carro ou imóvel ou outro bem. Essa forma de obter crédito permite que até as pessoas com o orçamento mais restrito tenham a possibilidade de obter o item desejado.

Além disso, existem muitas dúvidas se o consórcio vale a pena ou não. E tudo vai depender do seu perfil, do seu orçamento e das suas expectativas. Será que você está pronto para entrar em um consórcio?

Confira mais como funciona um consórcio e se é vantagem ou não para você. Boa leitura!

Leia também:

Acompanhe as últimas notícias sobre o Bolsa Família em 2023
Como baixar aplicativo Caixa Tem e instalar no celular
Como tirar o PIS pela primeira vez

Será que ainda vale a pena participar de um consórcio?

Como funciona o consórcio?

Ao se juntar no consórcio, você faz parte de um grupo de pessoas que têm o mesmo objetivo, seja a aquisição de um bem ou a contratação de um serviço.

Com o grupo fechado, todos começam a pagar as parcelas mensais de acordo com o planejamento escolhido para cada um. 

Por exemplo, você pode escolher pagar parcelas de R$ 500,00 para obter uma carta de crédito de R$50 mil em, no máximo, 60 meses.

Em cima disso, você pagará uma pequena taxa para a gestão de recursos da empresa que é responsável pela administração do consórcio e também responsável por organizar os sorteios da carta de crédito. 

Sendo uma taxa fixa que é estipulada antes e menor do que os juros de financiamento bancário.

Esses sorteios são realizados mensalmente através das assembleias. Isso acontece porque o montante formado a partir das contribuições de todos os participantes do consórcio permite que seja possível adquirir o bem ou serviço. A pessoa pode ser contemplada por meio do sorteio ou fazer uma oferta de um lance.

Os lances são feitos nas assembleias e podem ser de três tipos, veja abaixo detalhes sobre cada um:

  • Valor fixo que já fica preestabelecido pela administradora na assembleia;
  • Valor embutido onde usa parte do valor do consórcio para antecipar a carta;
  • Valor livre onde ganha aquele que oferecer o maior valor.

São tantas opções e planos que é preciso avaliar qual consórcio é o melhor de acordo com o seu perfil e que caiba no seu orçamento. Por isso, separamos alguns pontos positivos e negativos para avaliar se vale a pena ou não, confira:

Vantagens do consórcio

Algumas pessoas podem não ser tão disciplinadas com o dinheiro, então entrar em um consórcio pode ser um meio interessante para adquirir esse bem ou serviço mais caro. 

Afinal, tudo vai depender da realidade e da expectativa de cada pessoa. Assim, dentre as vantagens, temos que:

Será uma “poupança forçada”

Se a pessoa não consegue juntar o dinheiro e não tem como comprar à vista, então o consórcio será uma boa saída para isso. Afinal, é preciso pagar as parcelas e honrar o compromisso assumido no consórcio.

Assim, será uma “poupança forçada” para a pessoa já que o dinheiro é voltado para atingir o objetivo que tanto deseja.

Juros menores que um financiamento

Apesar de não ter juros, o consórcio cobra taxa de administração. Mas, ainda assim, são valores menores do que um financiamento e a pessoa já fica ciente desse valor assim que escolhe o plano de pagamento do consórcio. 

Assim, é importante analisar se você tem condições de pagar as taxas e verificar se elas estão dentro da sua renda mensal.

Cobertura do valor total do bem

Ao realizar um financiamento de um imóvel, por exemplo, o comprador precisa pagar à vista, pelo menos, 20% do valor total. O banco vai financiar o valor restante e a pessoa assume o compromisso com o financiamento. 

Já o consórcio cobre até 100% do valor do bem. O que se torna uma proposta atraente para aqueles que não tem esse valor de entrada.

Parcelas fixas

Como as mensalidades não têm juros, as parcelas do consórcio são fixas. Isso permite que o investidor se planeje mais para fazer os pagamentos ou até juntar dinheiro para dar um lance nas assembleias. 

A cobrança é realizada através de boletos mensais e com todas as informações sobre o consórcio, como o número de pessoas que foram sorteadas no último mês.

Inclusive, mesmo que você seja sorteado, deve pagar todas as parcelas do consórcio até que todas as pessoas do grupo sejam contempladas. Já em caso de atrasos, há cobrança de juros e multa que devem ser pagos até o sorteio seguinte ou a pessoa poderá sair do grupo.

Liberdade para usar o crédito

Ao ser sorteado e adquirir a carta de crédito, a pessoa contemplada tem a liberdade para fazer uso do valor no que desejar, desde que se enquadre na categoria do bem que se juntou ao consórcio. 

Por exemplo, no consórcio de imóveis, é possível escolher entre imóveis novos ou usados, residenciais ou comerciais. Como também pode escolher um terreno para construção da casa ou até mesmo para quitar uma dívida.

Desvantagens do consórcio

Será que você terá paciência para esperar? Afinal, o principal lado negativo do consórcio é esperar até ser contemplado, caso não tenha valor para dar lance.

Você pode ser sorteado nos primeiros meses ou no final do tempo do consórcio. Ou também pode demorar a ser contemplado. Isso quer dizer que você pode passar mais de 4 anos no consórcio para ter acesso ao bem.

Com isso, a principal desvantagem é que você não tem acesso imediato ao bem. Mas, tudo vai depender das suas expectativas e realidade financeira. 

Então, vale a pena entrar em um consórcio?

Antes de fechar com um consórcio, analise a administradora que faz a gestão para não cair em golpes ou adquirir dívidas desnecessárias

Além disso, leia o contrato minuciosamente para que o plano assinado esteja dentro do seu orçamento.

Portanto, faça uma avaliação de todas as condições para adquirir o bem e que esteja dentro das suas expectativas para tomar a sua decisão.

Quer conferir mais detalhes sobre esse e outros temas? Então, acesse o nosso site e confira muitos outros artigos que podem te ajudar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *